Author Archives: Berttoni Licarião

  • Virginia Woolf, Alexandra Lemasson

    No lugar de uma epígrafe, a trilha sonora do Philip Glass para As Horas (clica vai) Sentei para escrever sobre a biografia da Virginia Woolf escrita pela Alexandra Lemasson e percebi que não seria possível levar a tarefa a bom termo sem refletir sobre o processo que me transformou em gente-que-lê. Após um tempo de …

    More  →
  • As cidades invisíveis, Italo Calvino

    Resolvi revisitar As cidades invisíveis (1972) daquele Calvino italiano com quem acredito, com a força de uma topada no dedo mindinho do pé, ter alguma conexão astral. O livro foi reeditado este ano pela Companhia das Letras e traz 8 desenhos do autor e ilustrador (além de arquiteto, o que vem a calhar) Matteo Pericoli,  [...] More  →
  • O Deus das Pequenas Coisas, Arundhati Roy

    “Ammu, se a gente fica feliz num sonho, vale?”, Estha perguntou. “Vale como?” “A felicidade vale?” Ela sabia exatamente o que ele queria dizer, seu filho com o topete desmanchado. Porque na verdade só o que vale vale. A sabedoria simples e direta das crianças. — O Deus das Pequenas Coisas, Arundhati Roy Não raro …

    More  →
  • [ESPECIAL] Todas as vencedoras do Nobel de Literatura

    Na verdade, mulheres vendem muito. Por isso editores estão sempre procurando boas autoras. Mas homens dominam as resenhas. Já faz algum tempo. Homens são mais resenhados, mais homens resenham, e escritores homens são levados mais a sério. — Margaret Atwood. Ao longo de 116 anos, a academia sueca entregou sua medalhinha adornada com o busto [...] More  →
  • Memórias do subsolo, Fiódor Dostoiévski

    Ah, é! Vou escrever. Eu sempre escrevo pra seção de cartas do leitor. Eu também tenho um blog. Estou no Facebook. Tenho muita opinião. E seguidores. O endereço é fácil. Não quer? Tudo bem, não quer, não precisa anotar. Tenho milhares de amigos e seguidores. Mais um, menos um, pra mim tanto faz. Mas vou …

    More  →
  • Capitães da areia, Jorge Amado

    Para André Honor, que um dia foi Pedro Bala. “No começo da noite caiu uma carga-d’água. Também as nuvens pretas logo depois desapareceram do céu e as estrelas brilharam, brilhou também a lua cheia. Pela madrugada os Capitães da Areia vieram. O Sem-Pernas botou o motor para trabalhar. E eles esqueceram que não eram iguais …

    More  →
  • O cemitério de Praga, Umberto Eco

    Sou grande admirador (e usuário) do Umberto Eco Teórico, cujos trabalhos sobre a presença do leitor no texto contribuem para sustentar e arrematar as estratégias interpretativas de qualquer obra. Para o Eco de Lector in Fabula e Seis passeios pelos bosques da ficção (livrinho agradável que todomundo devia ler), o texto é “uma máquina preguiçosa pedindo ao …

    More  →
  • Vasto mundo, Maria Valéria Rezende

    Para meu pai, Josalbo Licarião, que quando canta abraça o sertão inteiro.  Ouvir Maria Valéria Rezende é tão bom quanto lê-la. Quem já teve a oportunidade de estar presente em qualquer de suas palestras, assistir a uma entrevista na tevê ou mesmo tomar um chá em seu quintal em João Pessoa/PB, há de concordar rapidinho …

    More  →
  • Desmundo, Ana Miranda

    Além da conversa das mulheres, são os sonhos que seguram o mundo na sua órbita. — José Saramago, Memorial do convento Vossas mercês, leitores do Prosa, precisam ler Desmundo. Urgentemente. Capaz de mergulhar o leitor numa atmosfera de brutalidade e lirismo, esta narrativa rouba seu fôlego em meio à densa vida selvagem de uma colônia ainda pouco desbravada …

    More  →
  • 10 ficções recentes sobre a ditadura brasileira

    As coisas têm um rosto distinto quando vivemos o pós-elas. Quando nascemos tantos anos depois. Quando precisamos que nos informem, que nos expliquem, que nos digam que era óbvio o óbvio que pulou para dentro dos arquivos. As verdades feias foram ao banheiro e retocaram a maquiagem. (Adriana Lisboa, Azul corvo) Esta é uma lista [...] More  →
  • A estrela sobe, Marques Rebelo

    Essa história de gostar de alguém, Já é mania que as pessoas tem… (Ta-hí, Joubert de Carvalho) [No Ar: Aqui e acolá, links para ouvir durante a resenha] A estrela sobe é uma daquelas obras pouco conhecidas, pouco comentadas, pouco lidas e estudadas, muito-poucamente pouco celebradas. É, não obstante, uma das melhores surpresas da prosa brasileira da …

    More  →
  • Como um romance, Daniel Pennac

    While the truncheon may be used in lieu of conversation, words will always retain their power. Words offer the means to meaning, and for those who will listen, the enunciation of truth. And the truth is, there is something terribly wrong with this country, isn’t there? Cruelty and injustice, intolerance and oppression. Fairness, justice, and …

    More  →