Author Archives: Katia Fonsaca

  • Crônicas de São Paulo – um olhar indígena, Daniel Munduruku

    Em um texto intitulado “A vida ao rés-do-chão”, o qual se tornou referência nos estudos sobre crônica, o mestre Antonio Candido dá “Graças a deus” pelo fato dessa ser considerada um “gênero menor” na literatura. Esse alívio expresso por ele, justifica-se porque, sendo como é, a crônica chega mais junto da gente comum. Para Candido, …

    More  →
  • O voo da guará vermelha, Maria Valéria Rezende

    “Quem construiu a Tebas das sete portas? Nos livros constam os nomes dos reis. Arrastaram eles os blocos de pedra?” Bertold Brecht   Abrir o livro e com ele alçar voo, o livro mesmo sendo pássaro, asas abertas, chamando o leitor pra garupa da sua lombada, aninhando-o dentro de suas páginas. Livro que promete no …

    More  →
  • Autoimperialismo, Benjamin Moser

    Este livro é dedicado ao Ocupe Estelita e a todos que se esforçam para construir um Brasil mais bonito   Há um livro sobre o Brasil e sua feiura arquitetônica que merece atenção: Autoimperialismo, de Benjamin Moser. Lançado esse ano, a obra é composta por três ensaios curtos – “Cemitério da Esperança: Brasília aos 50”, …

    More  →
  • Carcereiros, Drauzio Varella

    “Aqui a noite é sem fim e o dia tem setenta horas”   Drauzio Varella é talvez o médico mais conhecido no Brasil. Suas aparições na televisão e nas redes sociais são parte de um esforço admirável de promoção da saúde física e mental que ele desenvolve há anos e em várias frentes. Parte do …

    More  →
  • Teoria geral do esquecimento, José Eduardo Agualusa

    eu ostra cismo cá com minhas pérolas . . . cacos no abismo (163) Teoria geral do esquecimento, do escritor angolano José Eduardo Agualusa, é um livro maravilhoso (talvez com soluções finais novelescas muito rápidas, mas essa pode ser apenas a opinião de quem queria que o livro não acabasse tão cedo). Ficou merecidamente entre …

    More  →
  • Mamma, son tanto felice (Inferno Provisório, vol.1), Luiz Ruffato

    (Nunca contei pra ninguém isso, minha filha, mas o dono do açougue tinha tanta pena da nossa família que dava os restos de ossos pra gente fazer sopa) Luiz Ruffato já disse em entrevista que os títulos de seus livros são chaves de leitura para suas obras. A do seu aclamado Eles eram muitos cavalos …

    More  →
  • K. Relato de uma busca, B. Kucinski

    Para Bernardo Kucinski, em entrevista concedida a um dos programas da série Super Libris [1],  o trauma histórico da ditadura militar no Brasil (1964 – 1985) foi individualizado ao invés de ter sido encarado como uma ferida coletiva, o que fez com que não apenas as tragédias, mas também as culpas, ganhassem uma dimensão muito …

    More  →