Author Archives: Valnikson Viana

  • Hibisco roxo, Chimamanda Ngozi Adichie

    Para minha amiga Jhennefer, que enfim floresceu. Chimamanda Ngozi Adichie é daquelas autoras que arrebatam à primeira leitura, não somente pela beleza e notável força de seus textos, mas também pela reflexão e pelo alargar de perspectivas que eles proporcionam. A partir de sua experiência enquanto mulher, negra e nigeriana, vinda de uma família de …

    More  →
  • Hospício é Deus – Diário I, Maura Lopes Cançado

    O louco é divino, na minha tentativa fraca e angustiante de compreensão. É eterno. (CANÇADO, 2015, p. 25) A arte e a loucura sempre se cruzaram, ainda que de maneira tortuosa. Na literatura, a mente frágil e inconstante de alguns escritores gerou trabalhos de grande potência, como os do francês Antonin Artaud, do paulista Renato …

    More  →
  • O conto da aia, Margaret Atwood

    Você não conta uma historia apenas para si mesma. Sempre existe alguma outra pessoa. Mesmo quando não há ninguém. (ATWOOD, 2006, p. 54) A canadense Margaret Atwood, além da vasta e diversificada carreira como escritora (explorando o romance, o conto e a poesia), também já lecionou língua e literatura inglesas e exerceu por muito tempo …

    More  →
  • Azul e dura, Beatriz Bracher

    Nada importa quando nada está certo. (BRACHER, 2010, p. 134) Uma das autoras mais interessantes e respeitadas de nossa produção literária recente, a paulista Beatriz Bracher iniciou a carreira no mundo editorial brasileiro participando da organização da revista de literatura e filosofia 34 Letras e se destacando como uma das fundadoras da competente Editora 34. …

    More  →
  • 10 obras escritas por mulheres para discutir a política anti-migratória

    […] formamos todos, em conjunto, uma sociedade interligada, da qual só perdura a memória compartilhada. Nélida Piñon em Coração Andarilho (2009, p. 7)   O retrógrado quadro instaurado nos Estados Unidos com a posse de seu atual presidente vem sendo recebido com grande indignação em âmbito global. Já na primeira semana de mandato, Donald Trump …

    More  →
  • A teus pés, Ana Cristina Cesar

    “Tarde aprendi bom mesmo é dar a alma como lavada.” Versos de ‘O Homem Público N. 1’ Ana Cristina Cesar, mesmo com uma literatura aparentemente muito pensada e reescrita, não tão fugaz ou feita para o descartável, esteve conectada à geração mimeógrafo justamente por não se prender à grande esfera editorial e às exigências do público, …

    More  →
  • Cobra Norato, Raul Bopp

    “Um dia eu hei de morar nas terras do Sem-fim” O gaúcho Raul Bopp viajou por todo o Brasil assumindo os ofícios mais díspares (desde pintor de paredes até caixeiro de livraria), mas acabou se envolvendo de maneira mais expressiva com a Região Norte. Já em São Paulo e formando em Direito, fundou algumas publicações …

    More  →
  • A hora dos ruminantes, José J. Veiga

    “Isso de mexer com quem tá quieto pode chamar tempestade.” O goiano José J. Veiga ingressou um pouco tarde na carreira literária, aos quarenta e quatro anos. Ademais, ele logo foi saudado pela crítica e pelo público por sua prosa singular, dotada de questões incisivas aliadas a uma abordagem bastante lírica. Formado em direito sem …

    More  →