BannerJ
  • Cobra Norato, Raul Bopp

    “Um dia eu hei de morar nas terras do Sem-fim” O gaúcho Raul Bopp viajou por todo o Brasil assumindo os ofícios mais díspares (desde pintor de paredes até caixeiro de livraria), mas acabou se envolvendo de maneira mais expressiva com a Região Norte. Já em São Paulo e formando em Direito, fundou algumas publicações …

    More  →
  • O cemitério de Praga, Umberto Eco

    Sou grande admirador (e usuário) do Umberto Eco Teórico, cujos trabalhos sobre a presença do leitor no texto contribuem para sustentar e arrematar as estratégias interpretativas de qualquer obra. Para o Eco de Lector in Fabula e Seis passeios pelos bosques da ficção (livrinho agradável que todomundo devia ler), o texto é “uma máquina preguiçosa pedindo ao …

    More  →
  • A hora dos ruminantes, José J. Veiga

    “Isso de mexer com quem tá quieto pode chamar tempestade.” O goiano José J. Veiga ingressou um pouco tarde na carreira literária, aos quarenta e quatro anos. Ademais, ele logo foi saudado pela crítica e pelo público por sua prosa singular, dotada de questões incisivas aliadas a uma abordagem bastante lírica. Formado em direito sem …

    More  →
  • Vasto mundo, Maria Valéria Rezende

    Para meu pai, Josalbo Licarião, que quando canta abraça o sertão inteiro.  Ouvir Maria Valéria Rezende é tão bom quanto lê-la. Quem já teve a oportunidade de estar presente em qualquer de suas palestras, assistir a uma entrevista na tevê ou mesmo tomar um chá em seu quintal em João Pessoa/PB, há de concordar rapidinho …

    More  →
  • O voo da guará vermelha, Maria Valéria Rezende

    “Quem construiu a Tebas das sete portas? Nos livros constam os nomes dos reis. Arrastaram eles os blocos de pedra?” Bertold Brecht   Abrir o livro e com ele alçar voo, o livro mesmo sendo pássaro, asas abertas, chamando o leitor pra garupa da sua lombada, aninhando-o dentro de suas páginas. Livro que promete no …

    More  →
  • Desmundo, Ana Miranda

    Além da conversa das mulheres, são os sonhos que seguram o mundo na sua órbita. — José Saramago, Memorial do convento Vossas mercês, leitores do Prosa, precisam ler Desmundo. Urgentemente. Capaz de mergulhar o leitor numa atmosfera de brutalidade e lirismo, esta narrativa rouba seu fôlego em meio à densa vida selvagem de uma colônia ainda pouco desbravada …

    More  →
  • 10 ficções recentes sobre a ditadura brasileira

    As coisas têm um rosto distinto quando vivemos o pós-elas. Quando nascemos tantos anos depois. Quando precisamos que nos informem, que nos expliquem, que nos digam que era óbvio o óbvio que pulou para dentro dos arquivos. As verdades feias foram ao banheiro e retocaram a maquiagem. (Adriana Lisboa, Azul corvo) Esta é uma lista [...] More  →
  • Quarenta dias, Maria Valéria Rezende

    Quarenta Dias, romance de Maria Valéria Rezende vencedor do Prêmio Jabuti de 2015, é um livro-diário da narradora aposentada Alice,  diante do qual me portei como me portava diante dos meus próprios diários. Eles, como o livro, estavam ora nas mãos, ora na mesa do café, nas bolsas, no criado-mudo, sobre o travesseiro, em qualquer …

    More  →
  • Minha vida de menina, Helena Morley

     Mas que hei de fazer se não posso mudar meu gênio? Trilha sonora: o belíssimo “Mulungu do Cerrado”, do grupo mineiro Uakti em parceria com o coral Tabinha. Ao final do século XIX, em meio às atribulações de um Brasil monárquico com pés na transição democrática, vivia em Diamantina uma família, mescla de mineiros e …

    More  →
  • Autoimperialismo, Benjamin Moser

    Este livro é dedicado ao Ocupe Estelita e a todos que se esforçam para construir um Brasil mais bonito   Há um livro sobre o Brasil e sua feiura arquitetônica que merece atenção: Autoimperialismo, de Benjamin Moser. Lançado esse ano, a obra é composta por três ensaios curtos – “Cemitério da Esperança: Brasília aos 50”, …

    More  →
  • Como conversar com um fascista, Marcia Tiburi

    A leitura dos ensaios da filósofa Marcia Tiburi, reunidos em Como conversar com um fascista – reflexões sobre o cotidiano autoritário brasileiro (Editora Record, 194 páginas), publicado em 2015, permanece imprescindível, sobretudo no cenário da atual política brasileira, em que vivenciamos um golpe travestido de impeachment onde as regras da democracia não são respeitadas. O …

    More  →
  • A estrela sobe, Marques Rebelo

    Essa história de gostar de alguém, Já é mania que as pessoas tem… (Ta-hí, Joubert de Carvalho) [No Ar: Aqui e acolá, links para ouvir durante a resenha] A estrela sobe é uma daquelas obras pouco conhecidas, pouco comentadas, pouco lidas e estudadas, muito-poucamente pouco celebradas. É, não obstante, uma das melhores surpresas da prosa brasileira da …

    More  →